Ferramenta de integração contínua

Samuel Martins Delfim 26 de fevereiro de 2008 1

Integração contínua consiste em integrar o trabalho diversas vezes ao dia, assegurando que a base de código permaneça consistente ao final de cada integração.

A este mesmo procedimento de construção podem ser adicionadas rotinas como:

  • Execução de testes automatizados
  • Geração de versões internacionalizadas de seu software
  • Disponibilizar a versão atual em desenvolvimento para o cliente
  • Criação de relatórios de código como:
  • Cobertura de testes
  • Inspeção de padrões de codificação
  • Estatísticas de acoplamento

Todo o processo segue a arquitetura descrita na imagem abaixo:

O cenário acima pode ser descrito como: (Fonte: Continuous Integration)

  1. O desenvolvedor envia o código para o controle de versão (SVN, CVS, etc). Enquanto isso a máquina de integração (servidor de Integração Contínua) está verificando o repositório buscando por modificações
  2. Logo após um commit ser efetuado, o servidor ao verificar que alguma mudança ocorreu no repositório inicia o processo de build baixando os arquivos do Servidor de Controle de Versão. Assim, o script de build é executado, testes são realizados, relatórios gerados, e todo o projeto é integrado.
  3. O Servidor de Integração envia por e-mail ou outros dispositivos o feedback sobre build para usuários específicos do projeto
  4. O servidor volta ao estado de Poll buscando por mudanças no repositório

Com relação a ferramentas a serem utilizadas e a comparação entre elas temos 3 que se destacaram. Entre elas temos as ferramentas cruise-control, continuum e hudson.

Minha escolha pessoal é a utilização do Hudson. Entre as funcionalidades que mais me agradam estão:

  • Permite a configuração de novos jobs através de interface web.
  • Permite a realização de builds distribuídos.
  • É um projeto mais ativo com mais desenvolvedores.
  • Possui plugin para o eclipse.
  • Possui instalador do windows.
  • Utilização por parte de grandes projetos.
  • Integração com o Maven, SVN, CVS e com outras ferramentas.
  • Facilidade maior para configuração do que as outras ferramentas.

Um comentário »

  1. Fabio Ribeiro 19 de agosto de 2010 de 4:17 pm - Reply

    Tenho usado o Hudson e acho perfeito ! A utilização de plugins é excelente e ajuda muito na automação.

    Excelente post.

Deixe uma resposta »